A influência teórica do militante espanhol Abraham Guillén em grupos de luta armada na América Latina

Autores

  • Carla Luciana Silva UNIOESTE

DOI:

https://doi.org/10.46752/anphlac.30.2021.3976

Palavras-chave:

Abraham Guillén; Foquismo; Luta Armada.

Resumo

O objetivo deste texto é apresentar a influência de um teórico revolucionário pouco conhecido no debate sobre a luta armada brasileira. A maioria dos textos sobre o tema debatem a influência de Che Guevara e Regis Debray. Argumentamos aqui que a concepção de guerrilha no Brasil se aproximou da teoria do revolucionário Abraham Guillén. No final dos anos 1960, ele participou de várias estratégias de luta, na Bolívia, Argentina e Uruguai. Sua tese, de que a luta deveria se dar também no meio urbano, destoava da teoria do foquismo. Descobrimos que um grupo de militantes brasileiros exilados no Chile, em um momento de refluxo da luta no Brasil, estudou a obra de Guillén e elaborou um documento base para pautar a volta ao país, o Documento dos Doze Pontos. Parte dos registros são localizados no acompanhamento que a repressão brasileira, por meio do Centro de Informação do Exército – CIEX, fez dos passos de Guillén e do fluxo de revolucionários nos países do Conesul. As referências teóricas usadas pelos movimentos revolucionários ultrapassavam as fronteiras nacionais e iam muito além dos conhecidos Che Guevara e Regis Debray.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALDRIGHI, Clara. El Movimiento de Liberación Nacional Tupamaros (1965-1975). Estructura interna, fases de desarrollo y política de alianzas. In: POZZI, Pablo y PÉREZ, Claudio (Ed). Historia oral e historia política. Izquierda y lucha armada em América Latina, 1960-1990. Santiago: LOM, 2012.

ALVES, Daniel Augusto de Almeida. Arriba los que luchan! Sindicalismo revolucionário e luta armada. A trajetória da Federação Anarquista Uruguaia. 1963-1973. Dissertação de Mestrado, PPGH/UFRGS. 2014.

CAMPOS, Luiz Felipe. O massacre da Granja São Bento. 2. ed. Recife: Cepe, 2017.

DIAS, Cristiane Medianeira Ávila. Minha terra tem horrores: o exílio dos brasileiros no Chile (1970-1973). Tese de Doutorado em História. UFRGS. 2019.

FERNANDES, Ananda Simões. Burocratas da dor: as conexões repressivas entre os órgãos de informação das ditaduras brasileiras e uruguaia (1973-1985). Tese de Doutorado. UFGRS. 2018.

FREDERICO, Fabio. Política externa e guerrilha no Cone Sul: o “plano satã” e o sequestro do diplomata brasileiro Aloysio Mares Dias Gomide, Brasília: fundação Alexandre Gusmão, 2020.

GONZALEZ, Manuel. Abraham Guillén: A Relevant Theory for Contemporary Guerrilla Warfare. Monografia da MAJ. United States Army. 2015.

GUILLÉN, Abraham. Abraham Guillén: el primer teórico de la Guerrilla Urbana (Entrevista). Revista Bicicleta. Boletín Informativo del Colectivo Internacionalista de Comunicaciones Libertarias y ecológicas de Trabajadores anarco-sindicalistas, n.9, Barcelona.

GUILLÉN, Abraham. Desafio al Pentágono. Montevideo: Andes, 1969.

GUILLÉN, Abraham. Estrategia de la Guerrilla Urbana. Montevideo: Manuales del Pueblo, 1966.

GUILLÉN, Abraham. Lecciones de la Guerrilla Latinoamericana. In: HODGES, D & GUILLÉN, A. Revalorización de la Guerrilla Urbana. Montevideo: Editorial Virtual Liberación, 1976.

GUILLÉN, Abraham. Teoría de la violencia. Buenos Aires: Escorpio, 1965.

GUILLÉN, Abraham. Tesis sobre la guerrilla en el Brasil. Abraham Guillén, 1972 (manuscrito, CIEX).

MARCHESI, Aldo. Hacer la revolución. Guerrillas latino-americanas, de los años sesenta a la caída del Muro. Buenos Aires: Siglo XXI, 2019.

MIRAMAR, José Luis Carretero ABRAHAM GUILLÉN: Guerrilla y autogestión. MADRID. Confederación Sindical Solidaridad Obrera, 2020.

PALMAR, Aluízio. Onde foi que vocês enterraram nossos mortos? São Paulo: Alameda, 2019.

SALAS, Ernesto José. “Uturuncos’. Los Orígenes de la guerrilla peronista (1959-19600. In: POZZI, Pablo y PÉREZ, Claudio (Ed). Historia oral e historia política. Izquierda y lucha armada em América Latina, 1960-1990. Santiago: LOM, 2012.

SILVA, Carla. A Revolução da VPR, a Vanguarda Popular Revolucionária. Uberlândia: Navegando, 2021.

SILVA, C. L. Sequestros e terrorismo de Estado no Brasil: casos de resistência revolucionária. IZQUIERDAS (SANTIAGO). v.49, p. 1646 - 1669, 2020.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

Silva, C. L. (2021). A influência teórica do militante espanhol Abraham Guillén em grupos de luta armada na América Latina. Revista Eletrônica Da ANPHLAC, 21(30), 104-128. https://doi.org/10.46752/anphlac.30.2021.3976