Arielismo, politica e religião nos escritos de José Enrique Rodó sobre os Estados Unidos

Autores

  • Fabio Muruci dos Santos Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

DOI:

https://doi.org/10.46752/anphlac.30.2021.3981

Resumo

O ensaio Ariel, publicado em 1900 pelo filósofo uruguaio José Enrique Rodó, foi uma das obras mais influentes do pensamento hispano-americano. O texto apresenta uma crítica aos reformadores influenciados por ideias evolucionistas e utilitaristas que consideravam os Estados Unidos como um modelo a ser copiado pelos países latino-americanos e que consideravam o protestantismo como um dos fatores principais para o sucesso econômico do país. Contra essas filosofias modernizadoras, Rodó apresenta uma defesa dos valores católicos latinos, os quais valorizariam a importância da estética e do ócio criativo, diferentemente do foco puritano na disciplina. Nossa proposta é que um dos objetivos de Ariel é apresentar uma crítica de diversos aspectos da religiosidade estadunidense, entre eles a influência puritana e as narrativas edenistas, repudiando os EUA como um modelo de novos caminhos para a humanidade. Ao contrário, seria uma sociedade ameaçada pela estagnação trazida por uma educação homogeneizadora e um foco demasiado no igualitarismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BANNISTER, Robert C. Social Darwinism. Science and myth in Anglo-American social thought. Philadelphia: Temple University Press, 1979.

BELLAH, Robert Neelly. The broken covenant. American civil religion in time of trial. Chicago: University of Chicago Press, 1992.

CAWELTI, John G. Apostles of the self-made man. Changing concepts of success in America. Chicago / Londres: The University of Chicago Press, 1972.

DEVES VALDÉS, Eduardo. El pensamiento latinoamericano en el siglo XX. Entre la modernización y la identidad. Buenos Aires: Centro de Investigaciones Diego Barros Arana, 2000.

HIRSCHMAN, Albert O. As paixões e os interesses. Argumentos políticos a favor do capitalismo antes de seu triunfo. São Paulo: Paz e Terra, 1979.

HOWE, Daniel Walker. Making the American self. Jonathan Edwards to Abraham Lincoln. Cambridge; London: Harvard University Press, 1997.

KAHAN, Alan S. Aristocratic liberalism. The social and political thought of Jacob Burckhardt, John Stuart Mill, and Alexis de Tocqueville. New York; Oxford: Oxford University Press, 1992.

MURUCI, Fabio . Nascidos no maravilhoso. O excepcionalismo americano nos escritos de viagem de Domingo Sarmiento e José Martí. Dimensões. Revista de História da UFES, v. 19, 2007. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/dimensoes/article/view/2457.

NOBLE, David. The Eternal Adam and the New World Garden. The central myth in the American novel since 1830. New York: George Braziller, 1968.

RODÓ, José Enrique. Obras Completas. Madrid: Aguilar, 1967.

RODÓ, José Enrique. Ariel. Campinas: Editora da UNICAMP, 1991.

SANCHEZ, Luis Alberto. Balance y liquidación del novecientos. Santiago: Ediciones Ercilla, 1941.

SPENCER, Herbert. Herbert Spencer on the Americans and the Americans on Herbert Spencer. YOUMANS, Edward L. (org.). New York: Arno Press, 1973.

TOCQUEVILLE, Alexis de. A Democracia na América. Belo Horizonte: Itatiaia, 1998.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

Muruci dos Santos, F. . (2021). Arielismo, politica e religião nos escritos de José Enrique Rodó sobre os Estados Unidos. Revista Eletrônica Da ANPHLAC, 21(30), 240-256. https://doi.org/10.46752/anphlac.30.2021.3981